18 de fev de 2010

Observações vagas sobre o nada

Estou aqui tentando encontrar respostas para questões que necessariamente não me interessam tanto quanto antes. Mas a cada momento luto contra o medo de não conseguir.
Tenho medo de falhar. Todos a volta querem algo de você. Todos esperam algo de você: sucesso, família, boa educação.
Preciso me esforçar pra provar que não preciso provar nada a ninguém. Que droga de ironia...
Pra que tudo isso? Porque tenho que ser boa no que faço, não sou boa no que faço.
Sou boa no que sou. Em nenhum lugar você me encontra porque estou apenas aqui. Só existo eu da minha marca. E acredito que só exista você da sua.
Mas querem que sejamos iguais. Todos muito bons. E pra que?
Pra quê no final das contas ou no final da vida?
Reprodução? Chega desse papo desesperado.
Que venham as manhãs de verão já que aqui não tem inverno...
... que venha o que tiver que vir...
Estou aqui esperando o fim
e enquanto isso, entre uma coisa e outra
uma coisa nascer e outra morrer
Vamos tentando viver, mesmo que eu decididamente não saiba nadar
Mesmo que tenha que me lançar contra a correnteza
Mesmo que seja eu a lenha da fogueira.
Vivamos e deixemos viver! Simples assim... ... ...

Nenhum comentário: